Embraer: repressão à organização dos trabalhadores

José Donizetti de Almeida, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, foi agredido e preso no dia 5 de julho, quando distribuía o boletim informativo do Sindicato dos Metalúrgicos aos trabalhadores da Embraer. Para tentar impedir a denúncia da demissão de um dirigente sindical, a Embraer acionou a Polícia Militar, que enviou diversas viaturas à portaria da empresa. Donizetti ficou detido no 3o DP de São José dos Campos e foi liberado no final da manhã.

A empresa, uma das maiores exportadoras do país, utiliza repressão para impedir a organização dos funcionários. “Em todas as fábricas da região, o sindicato distribui material, realiza assembléias com os trabalhadores, mas na Embraer uma simples distribuição do Jornal do Metalúrgico vira caso de polícia”, afirmou o presidente do Sindicato em exercício, Adilson dos Santos, o Índio.

Na semana passada, a Embraer demitiu o diretor do sindicato Reynaldo Sant´Ana, por justa causa, após o sindicato denunciar as horas extras abusivas e a utilização de trabalhadores terceirizados na linha de produção. Reynaldo é candidato a vereador pelo PSTU e sua demissão foi feita um dia após o anúncio de sua candidatura.

O sindicato já entrou com processo contra a empresa com base na Constituição Federal, que determina a livre organização dos trabalhadores. Será realizada também uma campanha internacional denunciando a repressão na Embraer.

Moções de repúdio a essas atitudes repressivas podem ser enviadas para o fax da Embraer: (12) 3921-2394. As moções devem ser enviadas com cópia para sri@sindmetalsjc.org.br.

Post author Jocilene Chagas, de São José dos Campos (SP)
Publication Date