Em repressão à luta, estudantes são seqüestrados no Marrocos

Protestos ocorrem contra seqüestro de dez estudantes pelo aparato repressivo marroquinoO governo fantoche do Marrocos, respondendo à vontade do imperialismo, continua reprimindo as massas populares do país. Diante da postura de luta do movimento estudantil e de sua sólida posição, o aparato repressivo seqüestrou dez estudantes na região de Akadir (Universidade Akadir Ayad) nos últimos dias. A ação criminosa foi uma tentativa de minimizar o sucesso das manifestações e impedir a mobilização.

Em resposta, a União Nacional dos Estudantes do Marrocos fez uma manifestação de protesto na sexta-feira, dia 28, na capital Rabat, na região da Universidade de Alkadi Ayad. Os estudantes reivindicam liberdade para todos os presos e seqüestrados políticos, abrindo uma jornada de mobilizações contra as manobras covardes do governo.

O impacto da crise econômica invadiu as fronteiras do Marrocos. Já se pode sentir os elevados preços dos alimentos e de mercadorias e o desemprego. Trabalhadores e jovens marroquinos que vivem abaixo dos indicadores da pobreza e sofrem sem emprego pagam o preço da crise. Esta situação esta provocando revoltas no país.

O movimento estudantil é, ainda, a vanguarda da luta contra o governo burguês de Abbas Al-Fassi. Os estudantes travaram uma batalha e registram várias vitórias na tentativa de frear a máquina repressiva policial em várias universidades do país.

O movimento estudantil no Marrocos tem colocado, através da sua luta permanente, a possibilidade de se organizar contra a monarquia do país. Isso só reafirma a necessidade urgente de construir um partido revolucionário no Marrocos para conduzir a luta dos trabalhadores junto à luta estudantil.

Todo apoio ao movimento estudantil marroquino!