Contra o acordão, Fora Todos!

As pesquisas indicam que, pela primeira vez desde a posse, a maioria da população está contra o governo. Os índices tendem a piorar ainda mais, porque a reprovação é muito maior nas grandes cidades, o que depois tende a se generalizar para o resto do país. Para o governo e o PT, a notícia é ainda mais alarmante, porque é nos setores mais explorados em que os índices de rejeição são maiores. Com a continuidade das denúncias, o quadro tende a piorar cada vez mais.

Todavia, como dizia um banqueiro, citado por Petras neste jornal, “Não chore por Lula, ele discursou para eles, mas trabalhou para nós”.

Lula e o PT discursaram para os trabalhadores, mas trabalharam para os banqueiros e as grandes empresas. Em três anos de governo petista, o lucro líquido das principais empresas cresceu 71%, e o lucro dos bancos aumentou 49,3% enquanto o rendimento dos trabalhadores cresceu apenas 1,1%. Como afirmou o economista do Pátria Banco de Negócios: “O governo popular democrático é um excelente negócio para o capital como um todo“.

As acusações de corrupção são demolidoras em relação ao governo Lula, em primeiro lugar, porque realmente o governo do PT é tão corrupto quanto o de FHC e o de Collor. Não é por acaso que, dia após dia, as acusações encontram os dirigentes do PT gaguejando respostas sem pé nem cabeça, ou ainda dizendo não recordar como conseguiram por em suas contas milhões e milhões.

Mas não é só por isso. As acusações têm eco, porque este governo não fez nada a favor dos trabalhadores. Mantém a mesma política econômica de arrocho salarial e cortes nos gastos sociais como educação e saúde, para agradar os banqueiros e o FMI.

O grande objetivo da oposição burguesa, porém, já foi alcançado. O PSDB e o PFL não queriam e não querem derrubar o governo. Queriam, e já conseguiram, desgastar Lula e o PT de tal maneira que pudessem vencê-lo nas eleições de 2006. As pesquisas eleitorais já confirmam a possível vitória de Serra, e a explosão do PT aponta para uma campanha muito enfraquecida de Lula (ou outro candidato) em 2006.

Por esse motivo, está em marcha um acordão no Congresso, com o objetivo de restringir toda a crise à cassação de apenas alguns deputados. A pizza já está sendo preparada, e as CPIs estão se movendo cada vez menos, com a ajuda da grande imprensa, que é parte do acordão. Como a crise é muito grande, é possível que acabe por escapar do controle desses pilantras.

O PSTU levanta, contra o acordão, a política do “Fora Todos!”, fora o governo, o Congresso, PT, PSDB, PFL… A oposição burguesa é ainda mais corrupta que Lula. PSDB e PFL implantaram no Brasil o projeto neoliberal que Lula agora segue. Nós estamos categoricamente contra o governo e também contra a oposição burguesa. Queremos construir uma terceira alternativa, dos trabalhadores.

Só a mobilização de massas pode realmente evitar que o acordão se imponha. Por isso, é muito importante que os trabalhadores e a juventude apóiem os atos contra a corrupção e a política econômica que a Conlutas vai promover no mês de setembro nas principais capitais do país. Depois da grande marcha do dia 17, vamos às ruas em todo o país para formar um terceiro campo, distinto do governo e da oposição burguesa.

É preciso também apoiar e buscar unificar as campanhas salariais dos Correios, metalúrgicos, petroleiros, bancários e funcionalismo público federal da Educação. Vamos à luta.

Post author Editorial do jornal Opinião Socialista 230
Publication Date