Chapa apoiada pela Conlutas vence eleições em Santa Catarina

Nos dias 26 e 27 de junho foram realizadas as eleições para a direção do maior sindicato de Santa Catarina, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (SINTE). Três chapas disputaram o pleito – duas ligadas à CUT e a Chapa 1 (composta por independentes, Movimento Avançando Sindical, Movimento Negro Unificado e PSTU), apoiada pela Conlutas. Foi a primeira eleição em que a composição da direção obedecerá à proporção dos votos obtidos por cada chapa. Após um mês de discussão, a Chapa 1 foi a mais votada, saindo-se vitoriosa com 4.221 votos. A Chapa 2 (Articulação de Esquerda) obteve 3.865, e a Chapa 3 (Articulação Sindical), 3.213 votos. O Opinião entrevistou Danilo Ledra e Joaninha de Oliveira. Durante a gestão os dois irão se revezar na coordenação-geral da entidade.

Qual é a importância desta vitória para os trabalhadores?
Danilo – A vitória foi o resultado do debate que fizemos na base. Nosso programa foi aceito em todos os locais de trabalho e seu centro foi a necessidade de derrotar as reformas do governo Lula, em especial a da Previdência, e de desfiliar o SINTE da CUT.

É importante ter claro que a categoria vai precisar lutar muito para enfrentar tanto Lula como o governador Luiz Henrique (PMDB). Para construir essas lutas é indispensável um intenso trabalho de base, porque tanto as chapas 2 como a 3 ainda defendem a CUT e o governo Lula. Nossa política é construir um plebiscito na categoria para que possamos desfiliar o sindicato da CUT e nos unir àqueles que lutam hoje contra as reformas, como a Conlutas.

Como está a relação dos trabalhadores em educação com o governo Lula?
Joaninha – Foi impressionante a reação dos professores quando apresentamos o caráter da terceira reforma da Previdência. Todos ficaram indignados e disseram que é preciso derrotá-la. Por mais mentiras que a Articulação Sindical diga, ninguém duvida que Lula é capaz de realizar esse brutal ataque. Creio que nossa categoria participará com muita força do calendário de lutas aprovado no dia 25. Na campanha divulgamos a marcha a Brasília que faremos no segundo semestre.

Como você avalia o resultado da eleição?
Joaninha – Comparando com as eleições anteriores, a Chapa 3 perdeu em torno de dois mil votos. Eles apostaram no aparato do gabinete da senadora Ideli Salvati (PT), da CUT e da CNTE. Mesmo com tudo isso, ganhamos deles por uma diferença de mais de mil votos. Isso mostra um grande desgaste do governo Lula e de todos aqueles que o apóiam.

Já a Chapa 2 custou a se posicionar, fruto de uma composição contraditória de um setor que defende a desfiliação do SINTE da CUT com outro que ainda sustenta a CUT, apesar de criticar a política da central.
Nossa vitória coloca a luta dos trabalhadores do estado em um patamar superior. Também pode representar um grande salto na construção da Conlutas em Santa Catarina.

Post author da redação
Publication Date