Chapa 2 da CSP-Conlutas vence eleições do Sindsaúde/RN

Campanha da Chapa 2

Chapa composta por militantes do PSTU e independentes vence eleição do segundo maior sindicato do Rio Grande do NorteNos dias 5 e 6 de fevereiro, os trabalhadores da saúde pública do Rio Grande do Norte começaram a escrever um novo capítulo na história do Sindsaúde/RN, o segundo maior sindicato do estado. Depois de um processo eleitoral tumultuado, no qual a Oposição/CHAPA 2 e os servidores enfrentaram fraudes, ataques pessoais e muita despolitização por parte da direção/chapa 1, os sócios finalmente puderam fazer valer a sua vontade e escolher a nova direção do Sindsaúde.

Nem mesmo a anulação do primeiro pleito, através de uma manobra da chapa da situação, fez diminuir o desejo de mudança dos trabalhadores. A apuração dos votos da segunda eleição, realizada no último dia 7, confirmou uma decisão que já podia ser vista nos rostos dos servidores da saúde. O resultado das urnas devolveu aos sócios não apenas o seu sindicato, mas também restaurou a confiança da categoria na luta. A expectativa com relação ao resultado era tão grande que muitos trabalhadores permaneceram até a madrugada acompanhando a divulgação dos votos, urna a urna, pelo perfil da CHAPA 2 na rede social Facebook.

Com 3.375 votos (55%), a CHAPA 2 – Reconstruir o Sindsaúde com Luta e Democracia venceu a eleição contra a chapa 1, que obteve 2.729 (45%). Ao todo, foram 6.387 votos, dos quais 149 em branco e 134 nulos. Para a CHAPA 2 da CSP-Conlutas, formada por ativistas independentes e militantes do PSTU, a vitória prova a necessidade que os trabalhadores da saúde sentiam de mudar a direção da entidade. “Foi um basta contra a paralisia e o autoritarismo no nosso sindicato, em um momento que a saúde no Rio Grqande do Norte vive um verdadeiro caos. A categoria mostrou coragem para resgatar e retomar o controle do Sindsaúde. Mostrou que quem manda é a base.”, avaliou Rosalia, da Chapa 2.

Para a enfermeira, militante do PSTU, e coordenadora eleita do sindicato, Simone Dutra, a categoria está de parabéns pela decisão tomada e por ter abraçado uma campanha honesta. Ela destacou ainda que essa vitória não é apenas da oposição, e sim de todos os trabalhadores. “Agora é recolocar o Sindsaúde no caminho da luta e da democracia. Com a força da categoria, não vamos dar trégua aos governos que atacam a saúde pública, os servidores e os direitos da população. Dilma, Rosalba, Carlos Eduardo e demais prefeitos não terão sossego. Estamos só começando.”, declarou a integrante da chapa vencedora.