Câmara Municipal de São Paulo aprova homenagem à Rota


Homenagem reafirma a necessidade de desmilitarização da PM e reacende a luta contra a polícia genocida

Foi aprovada nesse dia 3 de agosto, na Câmara Municipal de São Paulo, a Salva de Prata para a Rota (Rondas Ostensiva Tobias Aguiar) como reconhecimento aos serviços prestados durante a ditadura militar brasileira. Com 37 votos favoráveis, 15 contra e 1 abstenção, a Câmara oficializa sua homenagem a um dos piores aparatos repressivos e que ainda resta do período ditatorial.

A sessão foi marcada por muito tumulto. Manifestantes de 18 entidades marcaram presença e protestaram com esse absurdo que minutos depois foi aprovado. Não adiantaram os gritos de “racistas” e “assassinos” que tomaram a Câmara, o projeto do vereador Coronel Telhada (PSDB) teve maioria absoluta na votação.

Como mais um exemplo dessa polícia que estavam homenageando, pelo menos quatro jovens foram retirados da sessão pela PM por ordem do presidente José Américo (PT). Um dos jovens afirmou à revista CartaCapital “que foi agredido pelos policiais enquanto era levado para o elevador atrás da galeria.”

Entulho autoritário
A Rota foi um aparato criado na ditadura militar, usado para perseguir os contrários ao regime. Hoje, persiste como um símbolo de desrespeito aos Direitos Humanos e massacre da população negra e pobre, principalmente. É intolerável que tal homenagem tenha sido aprovada.

Junto dessa Salva de Prata tem o consentimento com as tantas ações truculentas realizadas por essa tropa de elite da PM. Aprovar isso é fechar os olhos para, por exemplo, a chacina em Várzea Paulista de setembro de 2012, ou as acusações de estupro na desocupação de Pinheirinho, onde duas jovens denunciaram a violência. É aplaudir uma polícia genocida!

O PSTU defende a desmilitarização da polícia e o fim da Rota, a unificação das forças policiais e o fim da tutela do Exército sobre as PM’s. As polícias devem estar sob o controle da sociedade. Que a população escolha os delegados e as associações de moradores controlem os arsenais. Defendemos também o direito de greve dos policiais e de eleição de seus oficiais, bem como o julgamento dos mesmos pela população. A polícia deve estar a serviço da sociedade!

Abaixo, lista de todos os vereadores que foram favoráveis à homenagem à Rota:

Abou Anni (PV), Adilson Amadeu (PTB), Andrea Matarazzo (PSDB), Atilio Francisco (PRB), Aurélio Miguel (PR), Aurélio Nomura (PSDB), Calvo (PMDB), Claudinho de Souza (PSDB), Conte Lopes (PTB), Coronel Camilo (PSD), Coronel Telhada (PSDB), David Soares (PSD), Edir Sales (PSD), Eduardo Tuma  (PSDB), Floriano Pesaro (PSDB), George Hato (PMDB), Gilson Barreto (PSDB), Goulart (PSD), José Police Neto (PSD), Laercio Benko (PHS), Marco Aurélio Cunha (PSD), Mário Covas Neto (PSDB), Marquito (PTB), Marta Costa (PTB), Nelo Rodolfo (PMDB), Noemi Nonato (PSB), Ota (PSB), Patricia Bezerra (PSDB), Paulo Frange (PTB), Edemilson Chaves (PP), Ricardo Nunes (PMDB), Roberto Tripoli (PV), Sandra Tadeu (DEM), Souza Santos (PSD), Toninho Paiva (PR), Wadih Mutram (PP).