Após passeata no centro do Rio, manifestantes são recebidos pela ONU

Comitê em defesa da Luta do Povo Palestino entrega cartas às Nações Unidas e ao presidente LulaA Manifestação do Rio de Janeiro foi um sucesso, apesar da chuva que há três dias inunda a cidade. Próximo das 16 horas da sexta, dia 23 de janeiro, saímos em caminhada pelas ruas estreitas do Saara até a Marechal Floriano em direção ao Palácio do Itamaraty.

Uma comissão composta pelas entidades nacionais que participam do Comitê de Solidariedade à Luta do Povo Palestino do Rio de Janeiro foi recebida pelo representante da ONU, Senhor Giancarlo Summa, que recebeu de nossas mãos a “Carta Aberta à Organização das Nações Unidas”, onde exigimos a punição de Israel pelos crimes de guerra cometidos contra a população palestina, a abertura das fronteiras e o fim do bloqueio imposto por Israel.

Afirmamos ainda que tais crimes representam crimes contra toda a humanidade, que o desmonte do Estado fascista de Israel é um desafio de todos os povos do mundo, que deveria ser da comunidade internacional e é, em particular, responsabilidade da ONU.

Colocamos ainda que apesar do cessar fogo, Israel mantém o bloqueio econômico que provoca fome e mais mortes em Gaza, cidade arrasada pelas toneladas de mísseis despejados que destruiu sua infra-estrutura, serviços públicos, moradias, hospitais, e até o departamento da ONU que centralizava as doações de alimentos enviados pela solidariedade internacional.

O representante nos atualizou com os dados oficiais, acrescentou que há indícios de uso de novas armas de alta letalidade, que todas as construções levantadas pela ajuda internacional foram destruídas. Disse que apesar da ONU ter informado ao exército de Israel a localização exata das Escolas e do prédio da ajuda humanitária de sua responsabilidade, ainda assim, estes foram alvos da agressão sionista. Muitas pessoas morreram em suas instalações: mulheres, homens e crianças palestinas que foram ali procurar abrigo. A ONU perdeu 9 funcionários e 11 estão feridos.

O representante concorda que todas as normas de civilidade foram desrespeitadas e que diante dessa brutalidade a ONU já se pronunciou por uma investigação rigorosa e devidas responsabilidades.

Nos garantiu que irá encaminhar a Carta Aberta a sede das Nações Unidas e exortou para que mais organizações e povos se mobilizem e pressionem nesse sentido.

O representante do Itamaraty não participou da reunião. Mesmo assim deixamos com um funcionário uma “Carta Aberta ao Presidente Lula” onde exigimos que o governo brasileiro rompa relações diplomáticas com o Estado nazi-sionista de Israel; que se mobilize para exigir que a ONU promova a responsabilização e punição dos culpados pelos crimes de guerra e a suspensão imediata do hediondo bloqueio imposto por Israel a Gaza.

Nesse sentido estamos nos somando a Campanha que corre o mundo! Não vamos deixar ninguém esquecer. O Estado fascista não pode ficar impune. Há 60 anos comete crimes contra a humanidade. Isso tem que ser desmontado!

LEIA TAMBÉM

  • Em carta, comitê de solidariedade exige que Lula rompa relações com Israel