Anistia a membros da ex-convergência Socialista será julgada sábado

Cartaz de divulgação da 66° Caravana da Anistia

Militantes que integravam o Movimento de Oposição Metalúrgica de São Paulo (MOSP) terão os seus processos de Anistia Política julgados neste sábado, 8 de dezembro, pela Comissão de Anistia do Ministério da Justiça. Entre eles, Antonio Fernandes Neto, Alexandre Fusco e Luiz Carlos Prates (Mancha), militantes da então Convergência Socialista e que, atualmente, integram as fileiras do PSTU. No mesmo dia, será também julgado o requerimento de anistia do Padre José Eduardo Augusti.

Em função da atuação e militância política, os integrantes do MOSP foram perseguidos, demitidos e presos durante o período do regime militar. O requerimento da Anistia Política, neste sentido, almeja que o Estado brasileiro reconheça a perseguição durante a ditadura, bem como indenize estes militantes pelos danos causados, em base à Lei de Anistia (10559/2002). Mais do que um direito constitucional, essa anistia é uma medida de justiça em relação a estes trabalhadores que foram demitidos arbitrariamente, monitorados e perseguidos pelos instrumentos repressores do Estado brasileiro sob o comando ditatorial dos militares.

O julgamento será na 66° Caravana da Anistia no dia 8 de dezembro, sábado, às 10h, no Memorial da Resistência, 5ª andar – Auditório Vitae. (Largo General Osório, 66 – Luz – antiga sede do DEOPS).