Explosão em Cubatão: a vida dos operários e da população vale muito pouco para os patrões

Depois do desastre de Mariana, mais uma vez vemos o nome da Vale, uma empresa que já foi orgulho nacional, envolvida num grande acidente. Três explosões seguidas de um grande incêndio na Vale Fertilizantes 2 causaram pânico nos operários do pólo industrial e nos moradores de Cubatão na tarde desta quinta-feira. Os acidentes industriais na baixada Santista são recorrentes e a falta de fiscalização do governo torna a população refém da ganância dos patrões

O acidente ocorreu devido ao incêndio em uma correia transportadora. Quando o fogo entrou em contato com o nitrato de amônia, aconteceram três explosões e uma fumaça tóxica alaranjada foi vista a dezenas de quilômetros de distância. Os operários da Coperbras sentiram a estrutura da indústria vibrar com explosão. As empresas dos arredores, como a Refinaria, foram evacuadas, ficando apenas o quadro operacional.

Agora ocorrerá uma investigação para apurar os motivos e a responsabilidade do acidente. Como sempre, vão tentar pôr a culpa nos trabalhadores, mas quem trabalha na indústria já sabe os reais motivos desses “acidentes”. Para aumentar os lucros, as empresas diminuem o quadro operacional, não fazem uma manutenção adequada dos equipamentos e pressionam os trabalhadores a fazer tudo mais rápido. Em resumo, os acidentes ocorrem porque o lucro dos acionistas é considerado mais importante que a vida dos operários e a vida das comunidades próximas e o meio ambiente. Pensando bem não foi acidente, foi um crime!

Por sorte nenhum operário foi atingido, mas um bombeiro passou mal e foi hospitalizado. O nitrato de amônia é solúvel em água (se mistura a água com facilidade) e está contaminando toda a região, tornando a água imprópria para qualquer atividade, matando os animais e a vegetação.

Estatizar as empresas que provocam acidentes e que demitem!
A Vale já foi uma estatal, motivo de muito orgulho para seus trabalhadores. Depois de privatizada na década de 90, piorou muito as condições de trabalho dos operários, vive atrasando os pagamentos dos royalties para os municípios, é dona da Samarco, que provocou a tragédia de Mariana, e agora provoca esse acidente em Cubatão.  A Usiminas (antiga Cosipa) era outra gigante estatal que, após privatização, foi sucateada e acabou fechando os fornos e demitindo milhares de operários.

Por isso, defendemos a reestatização imediata da Vale, Cosipa e de todas as estatais privatizadas. Defendemos também a estatização de todas as empresas que causam acidentes ou demitem e que o governo não privatize a Petrobras!

Enquanto faltam operários nas fábricas, sobram desempregados!
Cubatão passa por uma grave crise de desemprego, são milhares de desempregados que se reúnem diariamente na fábrica da comunidade em busca de emprego. As empresas de Cubatão poderiam contratar para ampliar o quadro operacional e fazer as manutenções atrasadas, gerando emprego e protegendo a vida, mas não. Nossas vidas não valem nada para esses empresários. Por isso precisamos seguir lutando, pressionando governantes. É necessário tomar as ruas e construir uma greve geral para por para fora todos eles, conquistar nossos empregos e barrar todos esses ataque a aposentadoria, direitos trabalhistas e cortes na saúde e educação!

PSTU-Baixada Santista