Em São José dos Campos, Marcha da Periferia denuncia morte do jovem Richard

29

Ativistas do movimento negro, estudantes, dirigentes sindicais e trabalhadores realizaram, nesta quarta-feira, dia 20, a 1ª Marcha da Periferia de São José dos Campos (SP). Cerca de 60 pessoas percorreram as ruas do centro da cidade com faixas e cartazes, denunciando o racismo e a violência policial contra a população negra e pobre.

A família do jovem Richard David, assassinado em setembro pela PM de São José, participou da manifestação. Eles levaram cartazes com fotos dos grafites que Richard fazia e ressaltaram que o jovem, que já era pai, queria estudar e aperfeiçoar seu talento.

Richard faria 22 anos neste dia 20 de novembro e, com muita emoção a mãe, Elisete Aparecida David, lembrou da tragédia e cobrou justiça. “Ele não era bandido. Não tinha passagem na polícia e não estava armado. Foi morto covardemente. Nós queremos a verdade e que seja feita a justiça”, disse.

O presidente municipal do PSTU, Toninho Ferreira, lembrou a importância do Dia Nacional da Consciência Negra e da necessidade de fazer um dia de denúncia, resistência e luta. “Aqui tivemos a morte de Richard. No Rio, o assassinato de Amarildo. Hoje, a população pobre e negra das periferias vive um verdadeiro genocídio por parte do Estado. Precisamos denunciar e combater essa situação de racismo e violência”, afirmou.

Raquel de Paula, do Quilombo Raça e Classe e candidata do PSTU a vice-prefeita nas eleições de 2012, lembrou que a luta contra o racismo também é feminista e classista. “O racismo atinge ainda com mais força a mulher negra, pois ela é a base da pirâmide social, sendo ainda mais discriminada e alvo da opressão”, disse.

O feriado do dia da Consciência Negra em São José foi cobrado pelo diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José e integrante da Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Luiz Carlos Prates, o Mancha. “Em todo o país, manifestações lembram a luta de Zumbi dos Palmares, símbolo da luta contra a opressão e em várias cidades já é feriado. Aqui em São José, os vereadores e o prefeito cederam à ganância dos empresários e não tiveram a coragem de criar o feriado da Consciência Negra. Mas a nossa luta continua”, disse.

Carta ao prefeito Carlinhos (PT)
O movimento Quilombo Raça e Classe, filiado à CSP-Conlutas, entregará nesta quinta-feira, dia 21, uma carta ao prefeito Carlinhos com reivindicações do movimento, como melhorias no transporte público nos bairros da periferia, passe livre para estudantes e desempregados, a aplicação da lei 10.639/03 que determina o ensino sobre a África nas escolas, atividades culturais e a instituição do feriado da Consciência Negra.

Acesse o blog do PSTU-SJC
Curta a página do PSTU-SJC no Facebook