Tarcísio Leão

Hoje exerço a profissão de Educador em Matemática no Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Amazonas Campus Manaus Zona Leste, no entanto minha trajetória, de acordo com minhas lembranças iniciei a vida acadêmica no bairro de São Raimundo no Grupo Escolar “Olavo Bilac”, onde concluir o ensino primário, em seguida, ingressei no Ginásio Marques de Santa Cruz, para concluir o ensino fundamental, na época, de 5ª à 8ª série. Ao finalizar os estudos da 8ª série, ingressar na Escola Técnica Federal do Amazonas (ETFAM), por meio de um concurso muito disputado pelos alunos egressos do ensino fundamental.

Incorporei no serviço militar no período de 1976 a 1978, ao terminar o tempo correspondente ao serviço militar obrigatório, decidi fazer o vestibular para tentar uma vaga na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Fui aprovado para o Curso de Licenciatura Plena em Matemática, em 1979. De 1979 até 1984, participei de vária atividades acadêmicas, uma bastante importante foi a criação do Centro Cultura e Acadêmico de Matemática. Depois de estabilizado no serviço público, fiz o mestrado e doutorado em Educação Matemática.

Enquanto estudante de Matemática, fui presidente do Centro Acadêmico. Ingressei no magistério, para lecionar matemática aos estudantes do EJA, na Escola Senador João Bosco na Cidade Nova. Atuei cinco anos nessa modalidade de ensino, até ser aprovado em um concurso público para professor de Matemática da rede estadual. Fui lotado em uma escola para ensinar nos turnos vespertino e noturno. Por fim, fui aprovado em outro concurso na Prefeitura de Manaus.

Estava tão envolvido com as aulas e também com as questões políticas e sindicais, a ponto de disputar a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas. Como a direção, na época, era proporcional, eu a compus pelo fato de a chapa de que participava ter atingido o percentual exigido no regimento eleitoral. Nesse período, atuava durante o dia na direção do referido sindicato e à noite não perdi o vínculo com a sala de aula. Na época, envolvi-me, também, com a fundação local do Partido dos Trabalhadores e depois com a criação do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados, ao qual estou filiado até hoje.

Até 1996, eu mantinha três vínculos empregatícios. Mas, tive que fazer opção por dois deles, ao mesmo tempo em que recebi uma proposta para trabalhar no Colégio Militar de Manaus, vinculado ao Exército Brasileiro, onde permaneci apenas por um ano. No final do ano, fui aprovado no concurso para a Escola Agrotécnica Federal de São Gabriel da Cachoeira, hoje IFAM, assumindo as aulas de Matemática e Física em janeiro de 1997. Nesse período, participei da criação de uma seção sindical – SINASEFE, no estabelecimento ao qual estava vinculado.