Daniel Ruiz: 11 meses preso por defender os aposentados

PSTU-Argentina

Hoje completam 11 meses que Daniel Ruiz, petroleiro de Comodoro Rivadavia, está preso na prisão de Marcos Paz por ter feito parte, junto com Sebastián Romero e outros milhares, da mobilização que enfrentou a reforma previdenciária e foi duramente reprimida.

Embora não haja um argumento legal de peso para mantê-lo em prisão preventiva, a Justiça, sempre servil ao governo em exercício, negou todos os recursos apresentados para a sua liberação e nem sequer marcou uma data para o julgamento em que seria ajuizado.

Tal crueldade só se explica pela decisão política de um governo que sangra pela ferida do que significou o 18 de dezembro para seus planos, que impediu que a reforma trabalhista fosse posta em votação depois disso.

O recente resultado das eleições mostrou a rejeição massiva dos trabalhadores e do povo argentino a esse plano de fome, ajuste e repressão.

Repressão a serviço do ajuste que implicou no desaparecimento e assassinato de Santiago Maldonado, a prisão de Milagro Sala, a extradição de Facundo Jones Huala e a do próprio Daniel.

A luta pela liberdade de Daniel e contra a perseguição e desprocessamento de Sebastián Romero, Cesar Arakaki, Dimas Ponce e todos os perseguidos e processados ​​está mais colocada do que nunca com a derrota do governo.

É por isso que chamamos o conjunto de organizações e pessoas que têm apoiado a causa pela liberdade de Daniel para fazer um grande dia internacional por sua liberdade imediata em 12 de setembro, quando se completa um ano de sua detenção injusta.

Tradução: Lena Souza