Trabalhadores da GM recebem solidariedade da Europa e Estados Unidos

18
Protesto em Detroit
Foto: Sindmetal-SJC

Entidades internacionais repudiam demissões feitas pela montadora na virada do ano

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região tem recebido, nos últimos dias, várias manifestações de solidariedade destinadas aos trabalhadores da GM demitidos pela montadora na virada do ano.
 
Representantes do grupo “Caravan Autoworkers” enviaram mensagem de solidariedade à direção do Sindicato. Os companheiros, inclusive, fizeram um protesto, na semana passada, no Salão do Automóvel de Detroit, espaço de lançamentos da indústria automobilística mundial. No protesto, que denunciou a fome de lucros das empresas, também foi citado o caso dos trabalhadores daqui.
 
A União Sindical Solidaries, central francesa, enviou nota reafirmando a solidariedade da entidade às lutas dos trabalhadores da fábrica da GM de São José dos Campos. Na mensagem, a entidade manifesta total apoio à luta do Sindicato e da CSP-Conlutas nesse processo.
 
“Mais uma vez, trabalhadores serão despedidos porque os patrões da General Motors querem aumentar suas margens de lucros e engodar ainda mais o capital dos acionistas”, diz trecho do documento.
 
O vice-presidente do sindicato da cidade de Bochum, na Alemanha, Steffen Reichelt, também criticou as demissões que a GM está realizando no Brasil em nota enviada ao Sindicato.
 
“Recebemos a notícia de que a GM demitiu centenas de trabalhadores ligados ao seu Sindicato, durante as férias coletivas. Desde 2012, mais de 1.500 empregos foram perdidos em sua fábrica, enquanto a GM está fazendo enormes lucros, apesar da crise econômica”, escreveu Steffen.
 
O sindicalista alemão denunciou a intenção da GM de fechar a unidade na cidade alemã até o fim de 2014. “Milhares de famílias perderiam seu sustento. Estamos na mesma situação, temos o mesmo inimigo. Desejamos sucesso e força em sua luta contra as demissões”, acrescentou.
 
Steffen comunicou também que fará um relatório da situação da GM na cidade alemã e enviará para o Sindicato com o objetivo de organizar uma luta comum entre os metalúrgicos dos dois países.
 
Trabalhadores da Opel, na Espanha, também enviaram nota de solidariedade aos companheiros brasileiros: “Colegas, são tristes as notícias recebidas, que demonstram, mais uma vez, a continuidade dos ataques à classe trabalhadora por essas multinacionais sem escrúpulos. Transmitam a solidariedade e apoio dessa seção da Federação dos Metalúrgicos – CGT aos companheiros de São José dos Campos.”