Servidores ocupam Câmara de Curitiba contra “pacotaço”

1206
PM cerca prédio da Câmara e agride servidores. Foto Jornalistas Livres

Servidores ocuparam na manhã desta terça-feira, 20, a Câmara municipal de Curitiba contra o pacotaço de ajuste fiscal do prefeito Rafael Greca (PMN). Apesar da repressão e do forte efetivo policial que cercava a Câmara desde a madrugada, os servidores impuseram uma derrota ao prefeito, e a Câmara teve de suspender a votação do projeto.

Entre os ataques que o prefeito tenta impor à categoria está a “incorporação” de R$ 600 milhões do fundo de Previdência do funcionalismo ao caixa da prefeitura, o congelamento dos salários e do plano de carreira e a criação de uma Lei de Responsabilidade Fiscal do município. É uma versão local do ajuste fiscal e das reformas impostas por Temer.

Policial sorri enquanto agride servidores. Foto Sismuc

Os servidores estão em greve desde o dia 12 de junho e exigem a retirada do projeto de ajuste fiscal. Antes da ocupação, os servidores foram atacados pela polícia com gás pimenta e golpes de cassetete, ferindo vários trabalhadores. Com a ocupação, o presidente da Câmara, vereador Serginho do Posto (PSDB), suspendeu a votação e a remarcou para a próxima segunda-feira.

Os servidores, porém, prometem manter a mobilização. A votação do pacotaço de Greca já havia sido suspenso na semana passado e os trabalhadores afirmam que vão repetir a dose até que esse pacote de ataques saia definitivamente da pauta da Câmara.