Sem-terra ocupam estação ecológica que seria privatizada por Alckmin

76
Foto Juan Toro Castillo
No dia 2 de setembro, integrantes da Frente Nacional de Lutas (FNL) ocuparam a Estação Ecológica de Itirapina, localizada nos municípios de Itirapina e Brotas, interior de São Paulo.
A Estação Ecológica é uma das Unidades de Conservação que integra o pacote de áreas que o governo Geraldo Alckmin (PSDB) disponibilizará para a iniciativa privada através da Lei nº 16.260/16.  Ou seja, o governo tucano está privatizando as Unidades de Conservação do estado.
O governo do Estado de São Paulo, ao invés de destinar a área para a Reforma Agrária, decidiu, disponibilizá-la para empresas que farão sua exploração. Não bastasse isso, os trabalhadores rurais enfrentam a paralisação do Programa Nacional de Reforma Agrária pelo Tribunal de Contas da União.
Esses motivos levaram a Frente Nacional de Lutas a ocupar a área em forma de protesto. Desde o início da ocupação, os integrantes da FNL já protocolaram pedido de ajuda ao Instituto Florestal para impedir incêndios criminosos, e também fizeram Boletim de Ocorrência relatando tais fatos ao Batalhão da Comarca de Itirapina.
Com a iminência da ação de retomada de posse, a Frente Nacional de Lutas ingressou com uma Ação Declaratória com pedido de Tutela de Urgência para que o juízo impedisse ações administrativas como a “autotutela” realizada pela Polícia Militar, o que foi deferido no último dia  21. Desde a ocupação foram vários os incêndios que se intensificaram após a decisão judicial. A FNL está em negociação com o INCRA para resolver o problema das famílias acampadas.
O PSTU  de São Carlos apoia a ocupação e a luta pela reforma agrária. Nosso lema é ocupar, resistir e produzir.
por Waldemir Soares, de São Carlos (SP)