São José dos Campos: Após greve, trabalhadores da Hitachi garantem renovação de direitos

701

Paralisação de seis dias venceu repressão, assédio e intransigência da empresa

Após seis dias de greve, os trabalhadores da Johnson Controls Hitachi conquistaram a renovação das cláusulas sociais. O acordo e o fim da paralisação foram aprovados em assembleia realizada na manhã desta terça-feira (1º).

Os metalúrgicos também conquistaram 10% de reajuste salarial e o congelamento do valor cobrado no transporte. Além disso, os dias em que a produção ficou totalmente parada não serão descontados pela empresa. A J.C. Hitachi ainda se comprometeu a não tomar qualquer medida de repressão aos trabalhadores que participaram da greve.

A mobilização teve início na quarta-feira (26), após a recusa da J.C. Hitachi em renovar as cláusulas sociais do acordo coletivo, que garante direitos como estabilidade para lesionados, adicional noturno de 50% e auxílio-creche.

Para manter a paralisação e chegar a esse acordo os metalúrgicos tiveram de enfrentar o assédio da chefia, que enviou mensagens para pressioná-los a retornar ao trabalho, além da repressão da Polícia Militar.

Este acordo é uma importante vitória, pois garante a manutenção de nossas conquistas em um momento em que o presidente Michel Temer ataca os direitos dos trabalhadores e o ministro Gilmar Mendes altera a lei que regulamenta os acordos coletivos”, afirma o diretor do Sindicato Weller Pereira Gonçalves.

A JC Hitachi possui cerca de 330 trabalhadores e produz ar-condicionado industrial.

Por Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região