RJ: Manifestação pacífica no Centro do Rio é marcada por bandeiras vermelhas

30
Manifestação recebeu forte apoio da população

Passeata nas ruas do Centro reúne cerca de 10 mil

Uma nova manifestação tomou as ruas do Centro do Rio de Janeiro na tarde desta quinta-feira, 27 de junho. Com cerca de 10 mil pessoas presentes, a passeata percorreu a Av. Rio Branco, desde a Candelária até a Cinelândia. No fim da manifestação, os militantes do PSTU fizeram um grande ato nas escadarias da Câmara de Vereadores, exigindo, entre outras coisas, que a redução de R$ 0,20 nas passagens de ônibus seja deduzida dos lucros dos empresários e não dos investimentos em áreas sociais. Os ativistas reivindicavam também a estatização dos meios de transporte coletivo. 
 
 
Um dia depois de uma plenária histórica, em frente ao prédio do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, que reuniu mais de 4 mil pessoas, muitos manifestantes voltaram ao Largo de São Francisco, onde fica o Instituto, para a concentração. De lá, marcharam em direção à Candelária, onde se encontraram com o ato, que ficou marcado pela presença massiva de bandeiras vermelhas de organizações de esquerda. Além do PSTU, estiveram presentes o PCB e o PSOL. Diversas organizações como CSP-Conlutas e ANEL também participaram. Dezenas de ativistas do Corpo de Bombeiros também participaram da manifestação, lutando pela PEC 300 e pela reincorporação dos afastados pelo governo Cabral, como o Cabo Daciolo.
 
Os pedestres que passavam pelas ruas do centro manifestaram amplo apoio às pautas do movimento e à passeata. Na altura da Av. Nilo Peçanha, atendendo aos chamados vindos do carro de som e dos manifestantes, trabalhadores dos escritórios também manifestaram seu apoio à passeata, piscando as luzes de suas salas. Houve ainda, por várias vezes, chuvas de papéis picados atirados das janelas, arrancando aplausos dos manifestantes. 
 
Uma semana depois do ato que ficou marcado pelas agressões às organizações de esquerda, o clima da passeata era de tranquilidade e respeito às diversas organizações. "Nossas bandeiras vermelhas, depois de muita luta, foram respeitadas. Agora, os próximos passos devem ser a ampliação das mobilizações junto aos trabalhadores, o aprofundamento das reivindicações e a auto-organização de forma democrática e eficiente. A juventude continuará cumprindo esse papel", afirmou Julio Anselmo, da juventude do PSTU. 
 
Coletiva de Imprensa
Na manhã de hoje (28) , o PSTU realizou uma coletiva de imprensa para prestar esclarecimentos sobre as agressões sofridas na quinta-feira da semana passada (20), com a presença do presidente estadual do partido, Cyro Garcia.
 
O partido encaminhará uma queixa-crime à polícia, exigindo a responsabilização criminal dos elementos nazifascistas e policiais infiltrados na manifestação, que agrediram covardemente a militantes de esquerda. Na coletiva, documentos e imagens que identificam os agressores foram divulgados.