RJ: Importantes vitórias operárias em Volta Redonda e Angra dos Reis

79
Edimar Miguel, eleito para a CIPA da CSN

Mais uma importante vitória da classe trabalhadora no Rio de Janeiro. No município de Angra dos Reis, no estaleiro Brasfels, e em Volta Redonda, na CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), a CSP-Conlutas participou da eleição do Sindicato dos Metalúrgicos e de duas difíceis eleições da CIPA (Comissão Interna de Acidentes).

Angra dos Reis
O início do trabalho da CSP-Conlutas em Angras dos Reis, no Brasfels, foi devido ao pedido dos próprios metalúrgicos que não se sentiam representados e nem tinham confiança política nas outras centrais.

Foi criada a Chapa 2, identificada como da CSP-Conlutas, formada basicamente por operários de base e cipeiros do estaleiro. Foi uma campanha muito forte que contou com a militância da CSP-Conlutas e do PSTU, além de forte trabalho dentro e fora da fábrica. Foi incorporado também o trabalho nos bairros de Angra dos Reis, com panfletagens e carro de som.

Ficamos em 3º lugar devido à chapa de oposição, encabeçada pela UGT, ter mais tempo na cidade e ainda se intitular como “chapa do peão”.  Logo no início do mandato, eles já demonstraram que tinham um lado, o lado do patrão. Pouco dias depois da posse, a nova diretoria, acompanhada do alto escalão executivo do Brasfels, foi a Brasília encontrar com a presidenta Dilma Roussef. O objetivo era “levantar recursos” para tirar a empresa da crise econômica.

Esquecem que o estaleiro faz parte do grupo internacional milionário da indústria naval Kepeel, que ganhou rios de dinheiro no governo do PT, possui estaleiros em vários países do mundo e está diretamente envolvido nos escândalos de corrupção da Petrobrás. Essa nova diretoria também se calou no momento em que se dava a aprovação da PL 4330, das terceirizações, e as MP’s 664 e 665, que atacaram direitos como o seguro-desemprego, o abono-PIS, entre outros.

Eleição da CIPA em Angra dos Reis: vitória da classe trabalhadora!
No final de outubro, em Angra, Wilson Marques (jatista) e Gilberto (profissional da área da tubulação), tiveram uma campanha difícil, pois declaravam abertamente uma postura em apoio da saúde e segurança dos trabalhadores, e não iriam compactuar com as regras do “patrão”. Consequência disso, foi o “gancho” que levaram de cinco dias por denunciarem as atrocidades que ocorriam dentro da fábrica e o assédio moral que os trabalhadores sofriam com um “carrasco do patrão” dentro do estaleiro.

A empresa enxergou essa ação como uma afronta.  Mas os trabalhadores do chão de fábrica sentiram isso como uma atitude que fortalecia cada vez mais o laço de confiança entre eles e os metalúrgicos candidatos. Foram dias e dias de campanha na porta do estaleiro representando significativamente o sentimento dos trabalhadores e denunciando os ataques do governo.

Wilson Marques ficou em 5º lugar e Gilberto em 9º, uma grande vitória! E como se não bastasse o reflexo de confiança da classe na CSP-Conlutas e em nossos cipeiros de luta, Wilson levou a vice-presidência da CIPA, prometendo fazer um mandato em prol dos trabalhadores, defendendo sua segurança e lutando contra todo o assédio moral e sexual que rola dentro da empresa.

A vitória dos dois cipeiros significa o fortalecimento do instrumento de luta contra os patrões e abre espaço para lutar por melhores condições no trabalho, como: ergonomia, Epi’s de qualidade, direitos trabalhistas, saúde mental do trabalhador, além de poder denunciar abertamente o descaso do patrão com o trabalhador, onde os mesmos visam apenas os lucros roubados do trabalho do peão.

Vitoria da Eleição da CIPA em Volta Redonda
Com o trabalho do Movimento de Oposição “Chão de Fábrica-CSP-Conlutas”, a militância do PSTU e trabalhadores de base, esse dia 26 de novembro foi marcado por uma grande vitória da classe trabalhadora do Sul Fluminense, com a eleição do cipeiro de luta Edimar Miguel na CSN, obtendo o 2º lugar (420 votos) e ficando apenas 7 votos atrás do primeiro colocado.

Isso reflete a vontade da classe trabalhadora da fábrica e a necessidade de um cipeiro que trabalhará em prol das necessidades dos trabalhadores com um mandato classista e de combate para defender a saúde e segurança dos trabalhadores da siderúrgica.

Com 21 anos de CSN e 4 mandatos de CIPA, Edimar é um metalúrgico com longa trajetória de luta já comprovada.

A militância da CSP-Conlutas do Sul Fluminense e do PSTU, que se engajaram fortemente desde o início nessas duas batalhas, em Angra e Volta Redonda, estão de parabéns e de alma lavada.

Tudo isso só foi possível pelo envolvimento consciente da base dessas categorias, e pelo apoio material e político dos sindicatos dos Comerciários de Nova Iguaçu, dos Mineiros de Congonhas e da CSP-Conlutas do Estado do Rio de Janeiro.