Reitoria da Unicamp Ocupada: “Nem a sindicância do Tadeu, nem a PM de Alckmin”

23

Nesse 3 de outubro, os estudantes da Unicamp ocuparam sua reitoria! A ocupação aconteceu depois de uma grande Assembleia Geral que reuniu mais de 500 estudantes. A Assembleia decidiu por unanimidade pela ocupação da Reitoria da Unicamp e por indicativo de greve geral, que será construída pelos centros acadêmicos em seus institutos.
 
As principais pautas da ocupação são por “Fora a PM do Campus” e contra os processos de sindicância abertos pela reitoria contra os estudantes. Após a morte de Denis Casagrande em uma festa na Unicamp, a reitoria decidiu sumariamente dar livre acesso à Policia Militar dentro do campus. Sabemos que, desde agosto, a reitoria vem negociando com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) para intensificar a repressão à comunidade acadêmica se utilizando da força policial, sem qualquer discussão com o restante do campus. A máscara de reitor dialogável de Tadeu caiu por terra.
 
Não achamos que esta seja a solução para a segurança na Universidade. Desde de junho, a PM tem mostrado qual seu verdadeiro papel, reprimindo duramente lutadores que vão às ruas apenas para exigir seus direitos. A truculência não pára, durante esta semana, a PM agrediu vários professores no Rio de Janeiro sob o intuito de reprimir a greve deles.
 
Não aceitaremos nem a polícia de Alckmin, nem a sindicância de Tadeu! Queremos uma universidade democrática, com liberdade de vivência, onde os estudantes possam organizar seus espaços de sociabilidade como são as festas. Mas também queremos uma universidade segura, bem iluminada e habitada pela comunidade externa! Além disso, é necessária uma guarda universitária que não seja patrimonial, mas que sirva para cuidar das pessoas! Para isso, ela não pode ser precarizada, mas concursada, treinada em direitos humanos e controlada democraticamente pelas entidades sindicais e do movimento estudantil da universidade!
 
Por isso, nós do Coletivo Pra Fazer Diferente, estamos construindo a Ocupação da Reitoria da Unicamp, seguimos o exemplo da Ocupação da Reitoria da USP e exigimos uma Universidade mais democrática. Não desocuparemos essa reitoria até que tenhamos certeza de um acordo pela retirada da Polícia Militar da UNICAMP. Só sairemos com um acordo que garanta que não terá nenhum tipo de punição aos estudantes, tanto os que estão envolvidos em organizações de festas quanto nesta luta.
 
Chamamos todos os estudantes da Unicamp a somarem-se nesta luta e vir para esta Ocupação!
 
Nem a sindicância de Tadeu, nem a polícia de Alckmin!
 
Fora a PM do campus!
 
Fora Alckmin!
 
Atualização: A reitoria, confirmando seu caráter autoritário, recusou-se a qualquer tipo de negociação e entrou com pedido de reintegração de posse