Reitoria da UFPE é ocupada contra a privatização do hospital universitário

66
Ocupação é contra privatização de Hospital Universitário

Comunidade universitária é contra EBSERH

Estudantes, servidores e professores ocuparam, na manhã dessa segunda-feira (02/12), o prédio da Reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O movimento intitulado como Ocupe Reitoria UFPE é contra a adesão do Hospital das Clínicas (HC) à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH).
 
Com uma votação apressada e muito polêmica, o Conselho Universitário aprovou a adesão do HC à EBSERH, em meio a protestos de técnicos administrativos, professores e estudantes. Inconformados com o resultado do Conselho, cerca de 50 pessoas decidiram ocupar o prédio da reitoria. Houve enfrentamento com a guarda e muitos estudantes foram agredidos. Alguns apresentam lesões no corpo.
 
Após a ocupação, o Reitor Anísio Brasileiro mandou cortar a água e trancou todos os banheiros para pressionar os manifestantes. Mas isso não foi suficiente para acabar com o movimento. Durante todo o dia, eles se dividiram em grupos e fizeram mobilizações em sala de aula para explicar o que aconteceu.  O apoio foi muito grande e alguns estudantes saíram de sala aderindo ao movimento.
 
O SINTUFEPE seção sindical levou mantimentos para os estudantes que prometeram passar a noite acampados no prédio da Reitoria. Eles afirmam que vão permanecer no local até serem recebidos. “Houve promessas de amplo debate na universidade para se tomar qualquer decisão e isso não aconteceu, pelo contrário, a reitoria se mostrou ditadora e quer a todo custo garantir essa política privatizante”, explica estudante Janaina Oliveira, estudante de Serviço Social e militante da Assembleia Nacional de Estudantes – Livre (ANEL).
 
Para Kátia Telles, técnica administrativa da UFPE que participa da ocupação, essa adesão à EBSERH irá atacar os trabalhadores da universidade e a população usuária. “Essa política faz parte do projeto governamental do PT de privatização, tal como está fazendo com os aeroportos e a própria Petrobrás. Com a EBSERH haverá um atraso concreto na carreira dos técnicos, um amplo processo de precarização do trabalho e do serviço prestado à população no HC”, afirma Telles.
 
De acordo com o manifesto lançado pelos estudantes, foi realizado um plebiscito não institucional para comunidade acadêmica e 96% das pessoas que votaram se declararam contrárias a EBSERH. O movimento reivindica anulação do resultado do Conselho Universitário, construção de alternativa para o Hospital das Clínicas com amplo debate com a comunidade acadêmica e organização de plebiscito oficial para decisão sobre a EBSERH, organizado pelos três setores da comunidade e a reitoria.
 
Acompanhe a página do movimento: Ocupe Reitoria UFPE
 
Veja abaixo o Manifesto do movimento na íntegra:
 
Reitor Anísio Brasileiro dá um golpe na comunidade acadêmica da UFPE e impõe a privatização no Hospital das Clínicas (HC).
 
Comunidade Acadêmica Ocupa Reitoria.
 
A reunião do Conselho Universitário da Universidade Federal de Pernambuco, que aconteceu na manhã desta segunda-feira (2), no Centro de Ciências da Saúde, foi surpreendida por uma ação controversa do Reitor Anísio Brasileiro, quando semcondições mínimas para conduzir os debates a as votações sobre o resultado do Diagnóstico Situacional do Hospital das Clínicas, simplesmente optou por aprovar o resultado e dar por finalizada a reunião. Após isso, estudantes e Técnicos Administrativos da universidade seguiram para reitoria, onde ocuparam o gabinete do reitor, exigindo a anulação do resultado.
 
Neste momento , o gabinete do reitor segue ocupado pela comunidade acadêmica, que aguarda que as seguintes reivindicações sejam imediatamente atendidas:
1. Anulação do resultado do Conselho Universitário, justificada pela falta de condições para aferição de qualquer resultado no Consuni, não sendo legítima a votação realizada;
2. Construção de outra alternativa para o Hospital das Clínicas, em diálogo com os estudantes, servidores, professores e sociedade civil;
3. Cumprimento da promessa de realização de amplo debate com a comunidade acadêmica sobre a reestruturação do HC.
4. Que a decisão sobre a EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) seja realizada através de plebiscito, organizado pelos três setores da comunidade (servidores, professores e estudantes) e a reitoria.
É preciso lembrar que em plebiscito não institucional, organizado pelos movimentos sobre o tema neste ano, 96% das pessoas da UFPE que votaram se declararam contrárias ao processo de privatização do HC via EBSERH.
Convocamos toda a comunidade da UFPE e a sociedade civil organizada a prestar ativa solidariedade à mobilização dos lutadores e lutadoras por um HC público, com gestão democrática e vinculada à universidade.
 
TODOS e TODAS à REITORIA !!!