Ocupação Nasce a Esperança arranca vitoriosa após três dias ocupando a Prefeitura de Aracaju

117

Movimento ocupa prédio da prefeitura e conquista auxílio moradia

A prefeitura foi obrigada a ceder à força da luta e garantir o Auxilio Moradia para 126 famílias que participaram do protesto

Os moradores da Ocupação Nasce a Esperança, em Aracaju, ocuparam a prefeitura da capital sergipana entre 23 e 26 de maio e conseguiram uma grande vitória com esta luta.

A prefeitura de Aracaju, encabeçada por João Alves (DEM), há meses vinha buscando formas de despejar os ocupantes de um terreno que estava há 30 anos abandonado no bairro Santa Maria, na periferia do município. Mas foi obrigada a ceder à força da luta e garantir o Auxilio Moradia para 126 famílias que participaram do protesto.

Foram quatro dias de muitas dificuldades e lutas. A prefeitura apostou na repressão. Primeiro cortou a água e deixou os ocupantes por cerca de 30 horas sem comida. Somente após uma forte resistência diante de uma ação repressiva desproporcional da Guarda Municipal os ocupantes conseguiram conquistar o direito à entrada de comida e materiais de higiene.

A ocupação ganhou um grande apoio no município e foi destaque em toda a imprensa durante os quatro dias. Várias pessoas passavam para deixar contribuições aos ocupantes e prestar solidariedade.

“Nós conseguimos mostrar que lutando é possível conseguir um canto pra morar. Agora queremos continuar lutando porque a mesma prefeitura que reprimiu o pessoal na ocupação e que queria nos despejar dos barracos também constrói obras muito bonitas nas áreas nobres de Aracaju enquanto deixa o nosso bairro todo esburacado, cheio de lama e sem escolas e hospitais. Já aprendemos o caminho, vamos fazer muita luta pra melhorar também o nosso bairro”, relatou Erílio, militante do PSTU e um dos coordenadores do Movimento Luta Popular no estado.

A Ocupação Nasce a Esperança é um exemplo para todos aqueles que enfrentam os governos tanto municipais, como estaduais e o próprio governo federal, agora encabeçado por Temer, que atacam os trabalhadores para beneficiar banqueiros e grandes empresários. É necessário muita luta e resistência para impedir que tirem o nosso teto e nossos direitos.