segunda-feira, 26 de Março de 2012

Homens presos por planejar massacre na UnB ameaçaram PSTU

Site com ameaças foi denunciado

Na manhã da última quinta-feira, dia 22 de março, foram presos na capital paranaense Emerson Eduardo Rodrigues e Marcelo Valle Silveira Mello, administradores do site silviokoerich.org. O site recebeu cerca de 70 mil denúncias de "conteúdo abusivo" na página safernet.org, responsável por recolher reclamações de internautas relacionadas com abusos na rede.

A página de Emerson Rodrigues e Marcelo Valle ficou famosa por incitar o ódio contra negros, judeus, homossexuais, mulheres e comunistas, além incentivar a pedofilia e o estupro corretivo a mulheres lésbicas, o que gerou repúdio e comoção dos internautas em todo o país. Os dois gabavam-se, dentre outras coisas, por terem uma suposta relação com o atirador Wellington Menezes de Oliveira, autor do massacre de Realengo, ocorrido em 2011 e que matou 12 crianças, de idade entre 12 e 14 anos.

Na penúltima postagem do site antes deste ser fechado, era possível ler a seguinte mensagem: "A cada dia que se passa fico mais ansioso, conto as balas, sonho com os gritos de vagabundas e esquerdistas chorando, implorando para viver. Vejo o sangue para tudo quanto é lado, manchando uma camiseta com o logotipo do PSOL/PSTU".

A Polícia Federal tem provas que indicam que Emerson e Marcelo planejavam um massacre a estudantes da Universidade de Brasília, chegando a desenhar um mapa para a ação. Os dois contavam com apoiadores - no Twitter, sua conta possuía mais de 1.800 seguidores -, além de uma conta bancária com R$ 500.000 para financiá-los. Tudo leva a crer que Emerson e Marcelo não estão sozinhos.

Expressão de uma sociedade doente
Antes de tudo, é preciso ter claro que monstros como Emerson e Marcelo são o produto mais podre de uma sociedade doente, e o fato destes contarem com seguidores atesta que não se trata de casos isolados, mas sim de uma patologia social. A sociedade capitalista, ao reproduzir ideologias como o machismo, o racismo e a homofobia a fim de garantir a superexploração de certas camadas da classe trabalhadora, é a base para a existência de grupos neonazistas e ultrarreacionários que pregam o ódio contra as "minorias".

Os assassinatos de LGBT´s, o racismo disfarçado da grande mídia e a criminalização dos movimentos sociais pelos governos são elos de uma cadeia de opressão e exploração, que não começa e nem termina com o caso de Emerson e Marcelo. Muito pelo contrário. A mutilação do PLC 122 e do Estatuto da Igualdade Racial; a falta de investimentos em políticas concretas de combate ao machismo, como a Lei Maria da Penha; os ataques dos governos aos movimentos sociais, como no caso do Pinheirinho e das greves que ocorreram este ano: tudo isso contribui para que exista um sentimento de impunidade, que permite a ação de grupos e indivíduos como Emerson e Marcelo.

Omissão da justiça e da Reitoria da UnB colocaram estudantes em risco
Marcelo Valle não é um desconhecido da Universidade de Brasília. Já em 2005 incitava o ódio contra os negros nas redes sociais, criticando o sistema de cotas e afirmando que "lugar de negro não é na universidade". Na ocasião, foi denunciado por um estudante no Ministério Público. Chegou a ser processado e condenado em 2009, mas recorreu da decisão e não chegou a passar uma noite na cadeia. Todavia, continuou ameaçando os estudantes da instituição através de telefonemas e e-mails. Luiza Oliveira, estudante de Ciências Sociais e ex-militante do PSTU, foi ameaçada dentre outras coisas de estupro corretivo. "Ele ameaçou me estuprar, me xingou. Guardei todas as postagens dele impressas" , afirma Luiza.

Por outro lado, o clima de insegurança dentro da UnB reforça o medo de estudantes, professores e funcionários. O campus Darcy Ribeiro, que é o maior entre os quatro campi da universidade, é muito mal iluminado, tem poucas linhas de ônibus - o que obriga os estudantes a andarem a pé até a via mais próxima, que fica a centenas de metros - além de não contar com um contingente de seguranças apropriado. Os poucos seguranças da universidade são patrimoniais, ou seja, são treinados para defender o patrimônio material da universidade, e não a vida das pessoas. Todo semestre ocorre pelo menos um estupro nas imediações do campus Darcy Ribeiro, e a presença da polícia militar na área não diminui o número de ocorrências.

Como se não bastasse, recentemente a Reitoria da UnB anunciou uma demissão em massa de trabalhadores terceirizados, afirmando que graças à expansão via Reuni a universidade estava sendo subfinanciada, e que era preciso "cortar gastos" demitindo esses trabalhadores. A Reitoria ignora os lucros exorbitantes das empresas terceirizadas, e ao invés de propor a redução desses lucros prefere mandar centenas de pais e mães de família para a rua. Entre os terceirizados, os porteiros serão as maiores vítimas das demissões. Em outras palavras: em um momento crítico de insegurança na UnB, é anunciada pela Reitoria a demissão de trabalhadores responsáveis pela segurança do campus.

Um militante do PSTU, que é trabalhador terceirizado, convive diariamente com ameaças de todos os tipos, como resposta a seu papel na organização e liderança da categoria. "Já fui agredido fisicamente e inclusive ameaçado de morte. A Reitoria tem conhecimento da situação, mas até agora não fez nada" , diz Francisco.

Combater as opressões, garantir a segurança da comunidade universitária!
O PSTU é um partido reconhecido nacionalmente pela luta contra toda forma de opressão, seja ela de gênero, raça, etnia, orientação sexual ou de classe. Orgulhamo-nos de levantarmos bem alto a bandeira de todos os oprimidos pela construção de uma sociedade igualitária, apesar de vivermos em uma época de clara degeneração moral. Não é a toa que todos os inimigos da classe trabalhadora e dos setores oprimidos da sociedade sempre buscam atacar nossa organização, como é o caso de Emerson Rodrigues e Marcelo Valle, que afirmaram o desejo de ver nossas camisetas "manchadas com sangue". Longe de nos intimidarmos, continuaremos firmes na luta por um mundo livre da barbárie produzida pela sociedade capitalista, um mundo socialista.

Exigimos da Reitoria da UnB e dos poderes públicos medidas concretas de segurança para os estudantes da universidade. Seria ingenuidade pensar que Emerson Rodrigues e Marcelo Valle estão sozinhos, como atestam os comentários em seu blog e os R$ 500.000 achados em sua conta bancária. A prisão dos dois é um passo importante, mas de forma alguma garante a segurança da comunidade universitária da UnB. Exigimos a contratação de mais seguranças, maior iluminação no campus, ampliação das linhas de ônibus que passam na UnB e a não demissão dos trabalhadores da portaria.

  • Impunidade alimenta os crimes de ódio
  • ÚLTIMAS NOTÍCIAS
     

    JORNAL

    OPINIÃO

    SOCIALISTA

    Uma voz de esquerda operária e socialista

    GALERIAS DE FOTOS

    Sede nacional:

    Avenida Nove de Julho, 925

    Bela Vista - São Paulo - SP

    Metrô Anhangabaú

    CEP 01313-000

    (11) 5581.5776

    São Paulo - Centro - SP

    Rua Florêncio de Abreu, 248

    (11) 3313.5604

    saopaulo@pstu.org.br

    http://pstupaulista.blogspot.com.br/

    Rio de Janeiro - RJ

    Rua da Lapa, 180

    (21) 2232.9458

    riodejaneiro@pstu.org.br

    rio.pstu.org.br

    Belém - PA

    Travessa Curuzu, n° 1995 - Altos

    (91) 3226.6825

    belem@pstu.org.br

    blogpstupa.blogspot.com.br

    São Paulo - Zona Sul - SP

    Rua Julio Verne, 28

    (11) 5523.8440

    pstu.dasul@ymail.com

    Rio de Janeiro - Madureira - RJ

    Av. Ministro Edgar Romero, 584/302

    riodejaneiro@pstu.org.br

    rio.pstu.org.br

    Natal - RN

    Letícia Cerqueira, 23

    (84) 2020.1290

    natal@pstu.org.br

    psturn.blogspot.com

    São Paulo - Zona Leste - SP

    Rua Henrique de Paula França, 136

    (11) 99150.3515

    saopaulo@pstu.org.br

    Belo Horizonte - MG

    Edifício Vera Cruz, Rua dos Goitacazes 103, sala 2001.

    bh@pstu.org.br

    minas.pstu.org.br

    Fortaleza - CE

    Rua Juvenal Galeno, 710

    (85) 3044.0056

    fortaleza@pstu.org.br

    São Paulo - Zona Oeste - SP

    Rua Alves Branco, 65

    (11) 98195.6893

    saopaulo@pstu.org.br

    Porto Alegre - RS

    Rua General Portinho, 243

    (51) 3024.3486 e 3024.3409

    portoalegre@pstu.org.br

    pstugaucho.blogspot.com

    Aracaju - SE

    Av. Gasoduto, 1538-b

    (79) 3251.3530

    aracaju@pstu.org.br

    pstusergipe.com.br/

    Mais sedes...