No Ceará, plenária estadual fortalece preparação do dia 30 de agosto

14

Foto: Camila Chaves

Mais de trinta entidades, entre sindicatos, oposições e coletivos, participaram


Em todo o país, está forte o ritmo de preparação do Dia Nacional de Paralisações, em 30 de agosto, convocado pelas centrais sindicais. No Ceará, uma vitoriosa plenária estadual aconteceu na manhã do último dia 10, sob organização da Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas), Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal no Estado do Ceará (Sintsef), Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec) e Sindicato dos Servidores da 7ª Região da Justiça do Trabalho (Sindssétima), bloco que vem sendo formado na perspectiva de fazer avançar as lutas das trabalhadoras e trabalhadores.
 
Ao todo, mais de trinta entidades, entre sindicatos, oposições e coletivos, participaram da atividade que apontou os desafios da classe trabalhadora diante da atual conjuntura política no país, marcada pelas mobilizações de milhões de jovens e trabalhadores, que foram às ruas em junho, e de outros milhares de trabalhadores que pararam suas atividades no 11 de julho.
 
Para o coordenador estadual da CSP-Conlutas, José Batista, a plenária serviu para fortalecer as diferentes lutas que ocorrem no estado. “Politicamente, esse espaço foi muito vitorioso. Nós conseguimos reunir aqui as entidades e movimentos, como o ‘Mais Pão Menos Circo’, que têm tocado as principais lutas no Ceará. Sem sombra de dúvidas, hoje saímos daqui com um bloco de lutas fortalecido, e é justamente nesse tom que seguiremos para a construção do dia 30”, disse Batista.
 
A universitária da Assembleia Nacional de Estudantes – Livre (Anel), Natália Lídia, destacou um dos princípios da entidade, a aliança operário-estudantil, e falou sobre uma das principais lutas ocorridas em Fortaleza, a luta em defesa do Parque do Cocó. “Em todo o país, a juventude segue nas ruas, com ocupações de câmaras e atos públicos que se chocam diretamente com os governos e sua forte repressão. Para fortalecer ainda mais essas lutas, é importante que elas se encontrem com as lutas dos trabalhadores, e o dia 30 pode ser esse momento”, afirmou.
 
Ao final, as entidades presentes aprovaram uma moção de apoio em defesa do Parque do Cocó, área de preservação ambiental que vem sendo ameaçada pelo governo municipal, com apoio do governo estadual, para atender a interesses da burguesia local. Além disso, a plenária reafirmou o desejo e a disposição das entidades em construir, em Fortaleza, um dia de paralisações com caráter de greve geral para fazer avançar ainda mais a consciência da classe trabalhadora.

Leia também:
Fortaleza: Nota do PSTU em defesa do Parque do Cocó