Jornada de lutas: Dia 11 é marcado por paralisação, bloqueios e atos

3593
Manifestação em Natal (RN)

Dia de mobilizações é ponto de partida para o dia 25 de novembro; trabalhadores dos transportes de várias partes do país já aderiram

Com informações da CSP-Conlutas

Nesta sexta-feira (11) trabalhadores da cidade e do campo e organizados em movimentos de luta pela moradia, já nas primeiras horas do dia, mostraram toda sua disposição em barrar a retirada de direitos, entre elas a PEC 55 e as reformas trabalhista e previdenciária.

Pelo menos em 15 estados e no Distrito Federal, petroleiros, condutores, metalúrgicos, professores e docentes de escolas e universidades, além dos diversos segmentos do funcionalismo público, paralisaram suas atividades por algumas horas nesta jornada de lutas, que está dando uma importante demonstração de resistência e vontade de lutar. Rodovias e avenidas também foram travadas pela manhã.

A CSP-Conlutas está presente nas mobilizações do dia 11 e reforça que essa ação é um importante ponto de partida para fortalecer o 25 de novembro, “Dia Nacional de Paralisação e Greves” e reforça o chamado por Greve Geral já.

Contra as reformas da Previdência e Trabalhista! Não à PEC 241 (atual 55)! Por emprego e salário, contra o ajuste fiscal e a retirada dos direitos!

Acompanhe algumas atividades pelo país.

São Paulo
Capital

travamento-de-rodovida_-foto-midia-ninjaBloqueio de rodovias na Estrada de Itapecerica e na Avenida João Dias (Zona Sul da capital); na Rodovia Régis Bitencourt (Taboão da Serra); na Rodovia Presidente Dutra, no sentido capital; na Anchieta (São Bernardo do Campo); na Marginal Pinheiros e na Rodovia Anhanguera, nos dois sentidos. À tarde houve um ato que reuniu professores, estudantes, servidores públicos e diversas outras categorias no centro da cidade.

Foto Mídia Ninja
Foto Mídia Ninja

São José dos Campos
Os condutores em São José dos Campos realizaram uma “operação tartaruga” que durou duas horas e contou com mais de 80 ônibus. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, entidade filiada à CSP-Conlutas, participou da manifestação.

14955899_1154746364594357_992722134702247698_n

Houve ainda paralisação na Empresa Monsanto.

São Carlos
Acampamento Capão das Antas fez uma mobilização pelos direitos das trabalhadoras e trabalhadores do campo e da cidade e em defesa da Reforma Agrária!

Rio de Janeiro
Os servidores do Ibama e ICMBio realizam uma manifestação no Cristo Redentor para alertar a sociedade e pressionar o Senado contra a aprovação da PEC 55. O monumento está localizado no Parque Nacional da Tijuca, uma Unidade de Conservação Federal administrada pelo ICMBio, órgão público da área ambiental que tem sofrido com recorrentes cortes orçamentários, o que se agravará significativamente com a aprovação da proposta.

´Foto Mídia Ninja
´Foto Mídia Ninja

Organizado pela Asibama-RJ (Associação de Servidores Federais da Área Ambiental no Estado do Rio de Janeiro), o ato está vinculado ao dia nacional de luta contra a retirada de direitos sociais, convocado por diversas entidades.

rio2Os petroleiros também realizaram paralisações nas trocas de turno, além de travamento de avenidas.

Ao final do dia, profissionais de educação, petroleiros e estudantes realizaram uma manifestação da Candelária até a Alerj.

Minas Gerais
Belo Horizonte

Houve um ato conjunto das centrais sindicais e frentes contra a aprovação da PEC 55 e as reformas do governo Temer na Praça 7 que caminhou até a Assembleia Legislativa.

bh

Interior
Estudantes fecharam, por volta das 9 horas, as entradas da Universidade Federal de Juiz de Fora. Em Uberlândia, a BR 365 foi bloqueada.

Fortaleza (CE)
No Ceará, mais de 10 mil trabalhadores esquentaram nesta sexta-feira (11) o grande dia de luta nacional, que acontece em 25 de novembro. Os manifestantes tomaram as ruas do centro da cidade em protesto contra a PEC 55 (antiga 241). As passeatas se dividiram nas duas principais ruas do centro de Fortaleza, o que garantiu a paralisação do comércio e ônibus no centro da cidade.

fortaleza3

Participaram do dia de luta trabalhadores do serviço público em Greves da UFC, os estudantes que estão nas ocupações, judiciários, servidores da previdência, professores, movimentos sociais, em ações combinadas no estado na capital e interior.  Ao final das marchas, ocorreu um grande ato político unificado entre todas as organizações na Praça do Ferreira.

Foi muito importante a iniciativa e precisamos avançar na construção do próximo dia nacional de lutas, 25 de novembro, que pare a produção nesse país”, disse o dirigente da CSP-Conlutas CE José Batista Neto.

fortaleza2

Em Fortaleza, a manifestação foi organizada pela CSP-Conlutas, CUT, CTB e Intersindical, Unidade Classista, com a participação das Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular. Essas organizações têm como indicativo uma nova reunião para uma avaliação do dia 11, e discutir a preparação do dia 25 de novembro.

Maranhão
Houve paralisações e mobilizações das categorias pela manhã e tarde; e das ocupações dos IFMA’s e escolas pela manhã. Depois, as categorias e ocupações se concentraram na Praça Deodoro e saem em passeata.

maranhao

Distrito Federal
Professores e rodoviários pararam. Houve um ato unificado na frente do MEC (Ministério da Educação), logo em seguida os estudantes e técnicos da UnB, os estudantes e servidores do IFB, a CSP-Conlutas, os estudantes secundaristas resolveram marchar do MEC e foram até a rodoviária do plano piloto ocupando 4 faixas do eixo monumental.

manifestacao-df-2

Curitiba (PR)
Houve protesto contra a PEC 55 que reuniu mais de mil pessoas. Manifestantes fazem uma passeata entre a Praça Santos Andrade e Boca Maldita. Um ato unificado ocorreu no final do dia na Praça Dezenove de Dezembro.

14955965_759352294222918_7909862508890879191_n

Interior
Também foi realizado um ato por volta das 6h, em frente à Refinaria de Araucária (Repar). Outras cidades do interior do Paraná, como Apucarana, Umuarama, Maringá e Londrina também realizam atividades neste dia de luta. Houve ainda paralisação de petroleiros no Paraná, Usina SIX, REPAR- Araucária.

Sergipe
Neste dia 11 de novembro em Sergipe o Sindipetro AL/SE se somou ao calendário da jornada nacional de lutas convocada em unidade pelas centrais sindicais. Realizou um ato na base do campo terrestre de petróleo em Carmópolis, com atraso de 1 hora. A tarde o sindicato participou de um ato em Aracaju junto a outras entidades no viaduto do Dia.

alse

Pernambuco
Em Suape (PE), os trabalhadores paralisam rodovias pela manhã. Houve paralisações de rodovias em diversos pontos. Oposição Rodoviária, vinculada à CSP-Conlutas, organizou a paralisação de 3 garagens e empresas: Caxanga, Transcol e Itamaracá.

Paralisação de condutores
Paralisação de condutores

Bahia
Houve protestos em Feira de Santana, onde estudantes da UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana) fecharam a BR 116. Houve protestos ainda em Vitória da Conquista e os Operários da fábrica Trifil, de Itabuna, paralisaram suas atividades. As rodovias que dão acesso ao Pólo Petroquímico de Camaçari foram fechadas.

salvador

Em Cruz das Almas, no Recôncavo, manifestantes fecharam a BR-101.

Em Alagoinhas a concentração do ato foi em frente à Prefeitura Municipal. Estudantes da UNEB-Alagoinhas, Sindicato dos Petroleiros, Sindibeb, Sinpa, Sindacs, Sintraf, Sindae, Rodoviários, Sinpojud, Sindicato dos Comerciários, Sindicato dos Bancários, Sind’ladrilhos, Sintracom, Sindilimp e Sindsaude participaram da manifestação unificada.

Natal (RN)
Trancamentos de avenidas marcam o Dia Nacional de Mobilizações e Protestos em Natal. Passeata dos servidores da Saúde, organizados pelo Sindsaúde-RN, filiado à CSP-Conlutas, em conjunto com outros segmentos, em direção à governadoria do Estado, onde foi realizado um ato.

 natal3

Porto Alegre (RS)
Estudantes e profissionais da educação vão às ruas com faixas e cartazes denunciando a Reforma do Ensino Médio que precariza o ensino público. A Brigada Militar reprimiu violentamente o protesto.

porto_alegre

Maceió (AL)
Manifestação na capital alagoana.

Manaus (AM)
Ato na Praça Heliodoro Balbi, a praça da Polícia. Às 16h, estudantes das ocupações realizaram assembleia na Escola Normal Superior (ENS), na avenida Djalma Batista.