Fortaleza: Nota do PSTU sobre a Chacina da Messejana

133

O Brasil teve mais uma chacina na noite de quarta-feira (11) e madrugada de quinta-feira (12), em Fortaleza, quando 11 pessoas foram covardemente assassinadas. O enredo parece o mesmo das últimas chacinas de São Paulo e de Salvador que chocaram o país: um policial é assassinado a sangue frio por criminosos e logo, como uma retaliação orquestrada, jovens negros da periferia perdem suas vidas.

A região da Messejana, periferia de Fortaleza, está em pânico pela violência descabida e desproporcional cometida contra a população. As mortes com características de execução e em série apontam para uma ação feita pelas forças policiais.

Além da violência, o que chama atenção é o silêncio do Governador Camilo Santana (PT). A maior chacina da história recente de Fortaleza até agora não foi duramente criticada pelo governador do PT. Enquanto o governador se esconde, o comando da PM na região dá declarações na imprensa como sendo um verdadeiro justiceiro.

O assassinato covarde do soldado da polícia militar não dá o direito às forças de segurança a exterminar a juventude negra. Santana adotará a mesma postura do Governador da Bahia que elogiou os policiais assassinos da chacina do Cabula? Episódios como esse somente reforçam a ideia de que a desmilitarização é uma tarefa em torno da qual deve se mobilizar a sociedade.

Exigimos de Camilo Santana e de seu governo apuração independente da chacina e afastamento imediato do comando do policiamento de Messejana. Basta de extermínio da juventude negra! Desmilitarização da PM, já!

ACESSE o site do PSTU Ceará