Em São Paulo, PSTU vai a ato dizer: Fora Temer! Fora todos eles!

111

Frente Povo Sem Medo veta fala do PSTU e deixa o microfone livre para o PT

Na tarde deste domingo, 11 de setembro, o PSTU participou do ato “Fora Temer” em São Paulo para dizer: “Fora Temer! Fora todos eles!”, exigir eleições gerais já, com novas regras e defender a Greve Geral para botar abaixo esse governo, as reformas da Previdência, Trabalhista e o ajuste fiscal.

Ao contrário dos protestos anteriores, cuja convocatória mantinha como centro a luta contra o “golpe”, o ato deste domingo na capital paulista foi convocado com o eixo de “Fora Temer”. Segundo estimativa do Portal do PSTU, a manifestação reuniu algo em torno de 15 mil pessoas, que percorreram do MASP, na avenida Paulista, até o Parque do Ibirapuera.

Não vai pagar, não vai pagar/Por essa crise o povo não vai pagar! É fora Temer, Cunha e Aécio/ É fora todos e fora esse Congresso/Povo na rua pra fazer revolução/Greve Geral pro Brasil é a solução“, entoava a bateria da juventude do PSTU.

Para derrubar Temer é preciso unidade de ação e democracia
Infelizmente, a Frente Povo Sem Medo, que esteve à frente da organização do ato, impediu que o PSTU falasse no carro de som. Ao mesmo tempo, deixou o microfone aberto ao PT, incluindo o candidato à reeleição Fernando Haddad, o senador Lindbergh Farias e o presidente da sigla, Rui Falcão. A candidata à prefeitura pelo PSOL, Luiza Erundina, também pôde falar.

Já o também candidato Altino, do PSTU, único entre os prefeituráveis que coloca o Fora Temer em sua campanha da TV, foi impedido de falar. “Viemos aqui porque o ato é pelo ‘Fora Temer’, e o PSTU defende que tem que derrubar Temer, esse Congresso e todos eles. Mas, assim como a grande maioria da classe trabalhadora, não defendemos Dilma e seu mandato e não queremos que ela volte. Se a Frente Povo Sem Medo defende que teve um ‘golpe’ é seu direito, mas devemos fazer unidade pelo Fora Temer e a partir daí, que cada um possa manifestar suas posições. Não se pode se pode vetar a palavra de quem pensa diferente“, afirma Altino.

Altino lembra ainda que “precisamos da mais ampla unidade de ação em torno ao Fora Temer de todos que queiram tirá-lo de lá, e para isso precisamos massificar os atos e fazer uma Greve Geral. Mas essa atitude burocrática da Frente Povo Sem Medo não contribui para isso”. Posição que ainda compromete a espontaneidade dos atos.

Altino reafirmou o chamado à unidade em torno ao “Fora Temer”, e para que a direção da Frente Povo Sem Medo reveja esse tipo de posição e de atitude.  “É preciso construir unidade de ação com democracia, só assim podemos massificar os atos e também construirmos uma Greve Geral”, disse.