Direção do SINTUFSCar cobra solução do caso Sundermann

53

Documento solicitando providências foi entregue ao ex-ministro Paulo Vannucchi

Os Coordenadores Gerais do SINTUFSCar, Edgar Diagonel e Sérgio Ricardo P. Nunes entregaram no dia 27 de fevereiro, um ofício ao chefe da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, que atualmente é Membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), junto a Organização dos Estados Americanos (OEA).

O documento apresenta um relato sobre o Caso Sundermann, desde o assassinato do casal, passando pelas investigações até a denúncia feita junto a OEA, pelos Advogados da Fundação José Luís e Rosa Sundermann. Neste ano o assassinato completa 20 anos e continua sem esclarecimento.

Segundo Sérgio Ricardo P. Nunes, a iniciativa do sindicato tem como objetivo solicitar a intervenção da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) no caso. “Queremos que o Estado não se exima da sua responsabilidade de apurar e levar a julgamento os criminosos, que são os mesmos que assassinam milhares de trabalhadores e dirigentes sindicais neste país impunemente“, afirmou o coordenador do SINTUFSCar.

José Luis Sundermann era membro da direção do Sindicato dos Servidores Técnico-Administrativo da Universidade (SINTUFSCar) e da Federação dos Servidores das Universidades Federais (Fasubra), e sua esposa, Rosa Sundermann tinha sido recentemente eleita para o primeiro Comitê Central do PSTU, no Congresso de Fundação, uma semana antes do seu assassinato.

 Assassinato do Estudante da UFSCar
Atendendo a pedidos dos amigos do estudante de educação física da UFScar, Sérgio Gonçalves Lima, assassinado no dia 23 de fevereiro deste ano, os coordenadores gerais do SINTUFSCar, entregaram também ao ex-ministro Paulo Vannuchi, um documento no qual solicitam apoio da Comissão na apuração dos fatos que levaram à morte do estudante.