Clássico é suspenso para defender interesses da Globo

20185
Juntos no círculo central, clubes agradecem a presença dos torcedores.

Acaba de ser suspenso o jogo entre Atlético Paranaense e Coritiba, o Atletiba, como é chamado o clássico paranaense que seria disputado nessa 5ª rodada do campeonato estadual. O motivo da suspensão da partida foram as transmissões ao vivo que os clubes faziam em suas redes sociais. Diante do fato e sem conseguir chegar a um acordo com os clubes, a arbitragem acatou as ordens da Federação Paranaense de Futebol e encerrou a partida antes mesmo dela começar. Para a Federação, a transmissão ao vivo realizada pelos clubes em suas redes sociais viola os direitos de transmissão que, para essa temporada, foram adquiridos pela Rede Globo.

Os contratos de transmissão dos campeonatos são negociados por temporada, ano a ano. E como é de se esperar, todos os anos ficam com a Rede Globo, um dos maiores monopólios midiáticos do mundo. Isso dá a vantagem para a Globo de impor suas condições às federações e aos clubes, influenciando, inclusive, no horário dos jogos. Tudo para que a emissora dos Marinhos consiga tirar o máximo proveito comercial do esporte, com os direitos de imagem e a negociata dos espaços publicitários. Para a Globo, nosso futebol não passa de um espetáculo, mais uma mercadoria com a qual negocia. Para se ter uma ideia, só a Série A de 2016 movimentou cerca de R$575 milhões.

Mas os contratos de transmissão não são fechados exclusivamente entre a emissora e as federações. Os clubes também participam das negociações e recebem vultosos repasses de verbas da emissora, que são mediados pelas federações. Entretanto, a situação de fragilidade econômica dos clubes os fazem reféns das condições impostas pela Globo e as Federações.

Vale ressaltar que no começo desse ano, quando os direitos de transmissão do Campeonato Paranaense foram negociados, apenas 10 clubes aceitaram o acordo. E o Atlético Paranaense e o Coritiba não estão entre eles. Os clubes alegaram que o valor dos repasses eram muito baixos.

No clássico dessa tarde, depois de todo o impasse e de já terem se retirado do gramado, os jogadores do dois clubes voltaram ao centro do campo, de mãos dadas, e agradeceram aos torcedores. A torcida logo aplaudiu e protestou contra a Federação Paranaense. O presidente do Atlético, Luiz Sallim Emed, desabafou: “Eu chego a conclusão que não vai ter jogo por uma medida estreita e isso nos vamos seguir, mas acho que tá no momento de a gente mudar”. Emed também insinuou que era preciso voltar a democratizar o futebol.

É provável que a decisão ainda dê muita repercussão durante a semana, mas o fato é que a inédita transmissão online pelos clubes e a interrupção da partida põe a nu o poder da Rede Globo sobre nosso futebol, refém do monopólio midiático e seu capital.