BH: Por que o PSTU participa e apoia a Ocupação William Rosa?

98

A Ocupação William Rosa, nascida em 12 de outubro e organizada pelo movimento Luta Popular (filiado à CSP-Conlutas), contou com o apoio entusiasmado da militância do PSTU. Muitos dos filiados, simpatizantes e militantes do partido estiveram à frente dos trabalhos, compõem a coordenação e ajudam no dia a dia árduo da ocupação. Figuras reconhecidas do partido, como Vanessa Portugal, Gustavo Olimpio e Roberto Verônica, podem ser vistos quase diariamente entre as barracas de lona.

Quem conhece o programa e a trajetória do PSTU não se estranha com a presença do partido na ocupação, muito menos com a dedicação de seus militantes para que essa luta seja vitoriosa. Nosso partido sempre se posicionou a favor da luta pela distribuição justa das terras do campo e da cidade, vendo no ataque ao latifúndio e à especulação imobiliária parte fundamental da luta contra o capitalismo. O PSTU sempre se engajou na defesa das ocupações e trabalhou para que os sindicatos e entidades dos movimentos sociais colocassem suas forças a serviço da vitória da luta pelo direito à cidade, à terra e à moradia.

O PSTU apoia os ocupantes porque acha que nenhum dos governos resolverá esse problema apenas por boa vontade. A cidade de Contagem e a região metropolitana de BH possuem um grande déficit habitacional. Mais de 200 mil pessoas vivem de favor, de aluguel ou sem nenhum teto para abrigar. O programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida” tem se mostrado insuficiente para resolver os problemas das famílias pobres que precisam de casa. A reclamação mais frequente dos moradores da William Rosa é que estão há muito tempo inscritos no programa e já não têm mais perspectiva de conseguir uma casa esperando na fila.

O governador Anastasia, que criou a Minas Gerais dos sonhos nas propagandas oficiais, fez pouco ou quase nada para resolver esse déficit habitacional. Sua forma de mascarar o problema tem sido atormentar a vida da população de rua através de incursões policiais e outras medidas higienistas. O prefeito “comunista” Carlin Moura (PCdoB), que acende uma vela para o PT e outra para o PSDB, conseguiu ser pior que ambos. Foi o único governo que se recusou por semanas a receber o movimento, tendo responsabilidade direta na noite de terror que se sucedeu ao ato na prefeitura e trancamento da BR-040 no dia 02 de novembro. O município de Contagem, após quase um ano de gestão do PCdoBista, continua sem nenhuma política habitacional que não seja promover e enriquecer grandes construtoras como a MRV.

A luta direta dos trabalhadores pelo direito à cidade e à moradia é o único meio de conseguir reformas importantes que garantam um teto para as famílias pobres. Infelizmente, os direitos constitucionais não são garantidos pelo estado brasileiro e devem ser conquistados com muita luta (ou como canta o movimento; na marra!). Nesse sentido o PSTU coloca sua militância à serviço da vitória da Ocupação William Rosa e do movimento Luta Popular. Exige de Dilma, Anastasia e Carlin Moura uma solução para os problemas dessas e de muitas outras famílias que não têm onde morar. Exige o afastamento completo da Polícia Militar da ocupação, pois movimento social não é caso de polícia. Chegou a hora desses governos romperem com as grandes construtoras e com os interesses escusos do CEASA (que não é o proprietário do terreno) e cumprirem integralmente a reivindicação do movimento.

Viva a Ocupação William Rosa!

Viva o movimento Luta Popular!

Viva as famílias que decidiram tomar os destinos de suas vidas nas mãos e conquistar suas casas através da luta!

Lutar não é crime! Abaixo a reintegração de posse e o terror policial contra as famílias!

LEIA MAIS
Relato: Por um triz não aconteceu uma tragédia na Ocupação Wiliam Rosa