Ativistas ocupam Câmara de Vereadores de São Luís (MA)

50
Câmara de Vereadores do Maranhão foi ocupada para reivindicar direitos básicos

A Câmara de Vereadores de São Luís (MA) está ocupada desde a manhã desta terça-feira. Manifestantes chamam a população para uma reflexão necessária: a casa do povo precisa ser ocupada pelo povo.

 
Uma ocupação iniciada pelos moradores da Vila Apaco e algumas dezenas de ativistas, e estudantes mostra o questionamento que tem sido feito de norte a sul do país ao sistema político que favorece somente aos empresários, patrões, latifundiários e uma lista de ricos a perder de vista. O descaso com o direito à moradia da comunidade da Vila Apaco se refletiu na impaciência de ter de esperar por seu direito e ele nunca ser atendido.
 
Quando morar é realmente um privilégio de poucos, ocupar a Câmara de São Luís é mais que um direito para a garantia de demandas mínimas, como um espaço para fazer suas necessidades fisiológicas limpo, já que os banheiros químicos colocados lá desde fevereiro estão cheios de fezes e sem limpeza desde o início do ano. A comunidade precisa acreditar na sua mobilização permanente e fortalecer a ocupação da Câmara.
 
A luta só cresce
A pauta de reivindicações só aumenta, e entra em cena a luta por transporte público de qualidade, aumento da frota de ônibus, abertura das planilhas das empresas de transporte e passe-livre para estudantes e trabalhadores desempregados. Mais movimentos estão se direcionando para a ocupação e fortalecendo esse momento de resistência e importância política que os movimentos sociais e os jovens assumiram.
 
É preciso que todos os movimentos sociais do campo e da periferia se desloquem até a Câmara e incluam suas reivindicações na pauta. É importante que a Assembleia Popular do Maranhão coloque toda sua disposição organizativa e de luta a serviço desse momento de construção da população que reivindica direitos negados há anos.
 
A Prefeitura de Edivaldo Holanda Júnior (PTC/PCdoB/PSB) precisa ter mais compromisso com a cidade e providenciar o atendimento das exigências dos manifestantes. Não é possível que a Prefeitura de São Luís se mantenha em silêncio e não abra diálogo, ou mesmo que tenha a postura que os vereadores tiveram desde a tarde de ontem, de gritar com os manifestantes. Desde já, nós, do PSTU, apoiamos a ocupação e repudiamos a atitude dos vereadores com os manifestantes.
 
Todos ao Parlamento Popular
Os manifestantes convocaram um Parlamento Popular para esta quarta-feira, às 14h, para debater os novos rumos da política na cidade de São Luís. É preciso que a população saia de casa, e que os movimentos sociais, associações de bairros e os jovens estejam presentes na Câmara de Vereadores para a realização do Parlamento Popular.