Amapá: PSTU lança pré-candidatura de Genival Cruz a governador

110
Genival Cruz
Foto: PSTU-AP

Por um governo das lutas e dos trabalhadores!

O PSTU lançou a pré-candidatura do motorista de ônibus Genival Cruz de Araújo ao governo do Estado do Amapá para apresentar uma alternativa operária e socialista nas eleições de 2014. Neste momento em que o governo de Camilo Capiberibe (PSB) e a oposição conservadora (PDT,PMDB, PSDB etc.) são incapazes de atenderem às reivindicações das ruas e perseguem e criminalizam os movimentos sociais, é preciso construir uma alternativa operária e socialista no Amapá. A pré-candidatura de Genival Cruz é uma expressão das lutas e das reivindicações das ruas com a certeza de que sempre esteve ao lado dos trabalhadores e da juventude no estado.
 
Genival Cruz iniciou sua militância na categoria rodoviária, mais precisamente no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sincottrap). Chegou a ser preso durante uma greve em que os trabalhadores rodoviários ocuparam a sede do Sindicato das Empresas de Ônibus (Setap), reivindicando direitos para a categoria e o transporte público, junto com outros dirigentes sindicais. Genival Cruz é, atualmente, dirigente do Sincottrap e da CSP-Conlutas – AP.
 
Em junho, a juventude e o povo foram às ruas, encurralaram os governos e conseguiram reduzir o preço das passagens. De lá pra cá, os trabalhadores fizeram inúmeras greves, conseguindo algumas vitórias. Movimentos por moradia fizeram diversas ocupações nas cidades. Mas, infelizmente, pouca coisa mudou no Amapá, porque os governos não ouviram as ruas, não atenderam às reivindicações, e a insatisfação continua enorme.
 
O povo quer mudança, mas não quer a volta da velha direita. É preciso dar voz às ruas e lutar contra tudo que está aí. É necessário uma candidatura que esteja a serviço das lutas dos trabalhadores e da juventude, em torno a um programa operário, anticapitalista e anti-imperialista, que defenda uma transformação radical da sociedade rumo ao socialismo. Por isso, o PSTU apresenta a pré-candidatura de Genival Cruz ao governo do Estado do Amapá.
 
A mudança não veio e a velha política quer voltar!
O PSB de Camilo Capiberibe não mudou a realidade do Estado. Prometeu mudanças, porém o que vemos é a continuidade da política de privilegiar os ricos em detrimento dos pobres. O governo de Camilo Capiberibe não correspondeu às grandes expectativas dos trabalhadores, porque governa para os ricos e poderosos. Digam os trabalhadores da educação que foram duramente atacados durante os quatro anos de governo PSB.
 
O PDT de Waldez Góes é a velha política, que hoje tenta se relocalizar frente ao descaso deixado pelo governo Capiberibe. Contudo, Waldez, Gilvan e Jorge Amanajás só vão trazer mais miséria e corrupção ao povo trabalhador do Amapá, pois governaram e governam para os empresários, o agronegócio e as multinacionais. Por isso, os trabalhadores do Amapá não podem se enganar. O PDT e seus aliados têm a mesma política que o PSB.
 
Na Assembleia Legislativa, escândalos mostram para quem os deputados governam. Governam para os ricos e seus próprios interesses. Exemplos não faltam: ano passado os deputados queriam aprovar o famigerado auxílio-doença, enquanto a população morre nos corredores dos hospitais. A investigação que afastou Moises Sousa (PSC) e Edinho Duarte (PP) são provas de que PSB governa com a mesma harmonia que o PDT de quatro anos atrás. Todos eles apoiam o governo Dilma Rousseff (PT), que entregou nossa maior riqueza, o pré-sal, a preço de banana, e ataca o bolso dos brasileiros com um dos maiores juros do mundo.
 
É necessário romper com esse modelo de política econômica, construindo um plano econômico voltado aos trabalhadores amapaenses e brasileiros. Por isso, o PSTU apresenta o nome de Genival Cruz como pré-candidato ao governo do Estado.
 
Unir os trabalhadores nas lutas e nas eleições
Para se constituir verdadeiramente uma Frente de Esquerda como uma alternativa em nosso estado é preciso estabelecer um programa que parta das lutas e reivindicações da classe, mas que não pare aí. É preciso apontar uma mudança radical da sociedade, uma ruptura com a velha política, rumo ao socialismo. Tampouco, pode repetir os erros do PT de fazer acordos e alianças com os partidos burgueses e receber recursos da burguesia para financiamento de campanha.
 
Neste sentido, é preocupante que a Prefeitura de Clécio Luis (PSOL) mantenha os mesmos partidos que sempre estiveram no poder e esteja “aliançada” com o governo PSB nas políticas para o município. Os trabalhadores e a juventude amapaense precisam de um programa que reflita suas necessidades mais sentidas até as mais gerais. Por isso, exigimos de Randolfe, Clécio e do PSOL que rompam com o arco de alianças ao redor do PSB e dos partidos burgueses e construa uma alternativa verdadeiramente socialista e classista na capital e no estado do Amapá.
 
Por fim, é preciso garantir o respeito e representação dos partidos da frente de esquerda, desde a discussão programática, a composição das chapas majoritária e proporcional, plano de campanha, TV e demais aspectos.
 
Vamos voltar às ruas! Vamos unificar a juventude, os movimentos populares e os sindicatos para fazer uma grande luta durante a Copa do Mundo da FIFA e exigir que se pare de dar dinheiro para banqueiros e empreiteiros. Não estamos sós. Os trabalhadores e a juventude da Europa, do Norte da África e Oriente Médio, da Argentina e do Chile demonstram que é possível enfrentar e derrotar os governos e seus planos de austeridade. É preciso lutar, é possível vencer!
 
2013 foi só o começo, amanhã vai ser maior!
Apoie a pré-candidatura de Genival Cruz ao governo do Estado do Amapá!
 
 
LEIA TAMBÉM: