A Carne Fraca e os podres do capitalismo

1372

A Operação Carne Fraca da Polícia Federal revelou um enorme esquema de corrupção, fraude e todo tipo de absurdo no coração do agronegócio brasileiro.  Agora, assistimos uma verdadeira operação abafa por parte da mídia, do governo e da própria PF. Até o PT está fazendo campanha para minimizar as consequências deste escândalo. As argumentações são variadas, mas estão todos interessados em defender os lucros do agronegócio.

O governo Temer está protegendo os seus e de pronto saiu em defesa do reacionário agronegócio brasileiro. Seu frágil governo está metido até o pescoço, afinal seu ministro da Justiça está no centro do esquema. As relações do PMDB e outros partidos burgueses está nítida e fundamentada. Em seu desespero, ofereceu um jantar numa churrascaria, como se isso provasse alguma coisa. Sem contar que há indícios de que lá só serve carne importada. Cômico se não fosse trágico.

Os grupos de direita neoliberais afirmam que a culpa de tudo é da falta de liberalização da economia. Como assim? Foi exatamente a mão invisível do mercado, tão reivindicada pelos neoliberais de plantão, que gerou essa situação pela busca da maximização dos lucros. Isto é a consequência logica da eficiência empreendedora apregoada por sua ideologia neoliberal. Para os empresários, vale tudo em nome da competição entre as empresas e dos lucros exorbitantes, até vender carne podre.

Os petistas, por sua vez, inventaram toda uma história para justificar seu apoio ao agronegócio. Inclusive as duas maiores empresas envolvidas JBS e BR Foods foram agraciadas pelo governo do PT com toda sorte de vantagens e dinheiro. Os petistas afirmam que esta operação é mais uma parte do “golpe” com o objetivo de destruir mais um setor da economia nacional. Mais um, porque o objetivo da Lava Jato seria destruir o outro setor da construção.

Aqui há dois erros, o primeiro que tenta passar a mão na cabeça dos capitalistas envolvidos no escândalo e que exploram os trabalhadores. E o segundo é a defesa da burguesia nacional numa suposta luta contra a burguesia internacional. Sendo que estas fazem parte de uma mesma classe, que não briga entre si, mas sim que são sócias e amigas. O capitalismo não é menos cruel por ser nacional. E, na verdade, está cada vez mais presente o capital internacional em associação com o nacional no agronegócio brasileiro. A economia brasileira já é completamente dominada pelo imperialismo.

Escândalos deste tipo não são restritos ao Brasil, basta ver o escândalo da Volkswagen com o diesel e emissão de poluentes. Enfim, exemplos não faltam de que a burguesia faz de tudo para ter cada vez mais lucro.

É obvio que não devemos confiar na Polícia Federal, Ministério Público ou Judiciário. Pois estes não querem levar a investigação às últimas consequências, já que são parte do Estado burguês e tem seus rabos presos. Por isso é preciso que exijamos a estatização das empresas envolvidas e prisão com confisco de bens dos corruptos e corruptores.