16 de agosto: Dia nacional de mobilizações

111

Em defesa do emprego e contra retirada de direitos centrais sindicais chamam dia nacional de mobilizações para 16 de agosto


A unidade para enfrentar as reformas Trabalhista e da Previdência foi o que moveu oito centrais sindicais a realizarem nesta terça-feira (26) a Assembléia Nacional dos Trabalhadores por Emprego e Garantias de Direitos. A atividade deu impulso à luta contra os ajustes do governo e a retirada de direitos, além de convocar um dia nacional de mobilizações para 16 agosto.
 
Estiveram presentes representantes das centrais sindicais CSP-Conlutas, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CGTB.
 
A CSP-Conlutas, representada pelo membro da Secretaria Executiva Nacional Atnágoras Lopes defendeu a unidade de ação para enfrentar os ataques do governo Temer contra os trabalhadores e  a necessidade de unificar as lutas, as campanhas salariais e construir uma Greve Geral. “Porque de um lado é o interesse da nossa classe, do outro é o interesse da patronal, da burguesia e do imperialismo; (…) que o dia 16 seja um grande ponto de apoio para a construção de uma grande greve geral neste país para enfrentar e botar abaixo todo e qualquer governo que ataque nossos direitos”, ressaltou.
 

16 DE AGOSTO: DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO

16 DE AGOSTO: DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO | Nessa terça, 26, aconteceu em São Paulo a “Assembléia Nacional dos Trabalhadores por Emprego e Garantias de Direitos”, reunindo várias centrais sindicais como CUT, CTB e Força Sindical. O companheiro Atnágoras Lopes, da executiva da CSP-Conlutas, marcou presença e defendeu a unidade de ação nas lutas contra os ataques do governo, rumo a uma greve geral. Ficou definida o próximo dia 16 como dia nacional de mobilização.

Publicado por Zé Maria em Quarta, 27 de julho de 2016
 

Também estiveram presentes no evento Célio Dias, do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, e Luiz Carlos Prates, o Mancha, membro licenciado da Secretaria Executiva da CSP-Conlutas.
 
Os representantes de todas as centrais convergiram na mesma opinião de que é necessário colocar os trabalhadores em luta em defesa de empregos, dos direitos e da Previdência Social neste dia 16.